quarta-feira, 28 de outubro de 2009

O Outono abrandou o passo

O Outono fez questão em andar mais devagar esta semana.
Hoje em Leer não estiveram os 26 graus de Portugal, talvez metade. Mas os alemães adoram saborear o ar fresco. Não precisa de estar calor, basta algum Sol e vêm todos para a rua.
As esplanadas têm logo clientes. E estão devidamente equipadas: nas fotografias podem ver-se cobertores nas cadeiras.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Aguarelas

Aguarela e caneta (Julho, 2009), em papel Fabriano 30x25 cm, 300 g/cm2

O postal de hoje não é fotográfico. Troquei as fotografias pelas minhas aguarelas.
Em honra dos meus amigos aguarelistas Paulo e Júlio aqui ficam as ligações para os seus blogues, onde se podem apreciar excelentes aguarelas.
O Paulo, tal como ele diz, gosta de pintar lugares imaginários, inspirados pelas paisagens, arquitecturas e modos de vida tradicionais em vias de desaparecimento no nosso País.
O Júlio, que vive do outro do Atlântico, gosta de pintar aguarelas de belos locais do nosso Portugal. E também de outros lugares do outro lado do Mundo.
O melhor é, quem desejar, dar lá um salto (clicando nos nomes) e apreciar por si estes dois artistas com tenho tenho o prazer de permutar visitas no ciberespaço.
E como estou a falar de aguarelas, deixo-vos com outro dos meus últimos trabalhos.

Aguarela (Agosto, 2009), em papel Fabriano 40x30 cm, 300 g/cm2

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Mannheim

Wasserturm (Torre de Água) e jardim na Friedrichsplatz, em estilos neo-barroco e Jungendstil (Art Nouveau), é um dos locais mais emblemáticos da cidade


Mannheim, na confluência dos rios Neckar e Reno, cidade principal de uma zona industrial intensa, tem uma população de 23 por cento de estrangeiros, sendo muitos alemães descendentes de emigrantes, principalmente da Turquia. Na zona central de Mannheim a percentagem de estrangeiros ou população com ascendência de emigrantes sobre para 38 por cento.
O centro da cidade tem uma construção em quadrado, com os quarteirões numerados por letras e números (as ruas não têm nome), ao contrário do que é normal nas outras cidades alemãs. O início deste projecto de construção em quadrado da cidade remonta ao século XVII, com o príncipe-eleitor Frederico IV. Este tipo de construção foi também o que o Marquês de Pombal seguiu para a reconstrução do centro de Lisboa depois do terramoto de 1755.

Lado a lado a mesquita e a igreja erguem-se na noite majestosamente iluminadas.

A mesquita Sultão Selim I (Yavuz-Sultan-Selim), com capacidade para 2500 fiéis, foi até Outubro de 2008 a maior mesquita da Alemanha. Actualmente a maior é a mesquita de Duisburg.
A Igreja da Nossa Senhora (Liebfrauenkirche) ergue-se do outro da rua, sendo um local de culto católico e protestante.

Nikolaikirche

Igreja de São Nicolau, em Leipzig

Foi aqui faz hoje 20 anos que "o muro começou a cair". (clicar para ler notícia na DW).
Quando em 2006 entrei pela primeira vez na igreja de São Nicolau em Leipzig senti que era uma igreja diferente. Tem um ambiente mais leve, com muita luz e cores claras. As suas colunas são palmeiras, e acho que foi talvez esta característica que mais me impressionou.
Embora a igreja seja evangélica desde a reforma protestante no início do século XVI também são autorizadas missas católicas no seu interior.
Clicar aqui para ver o meu álbum com fotografias de Leipzig.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Speyer

Civitas Nemetum foi o seu primeiro nome, com origem numa tribo teutónica. Por volta de 150 dC Speyer chamava-se Noviomagus. O nome actual aparece como sendo sede de diocese em 346 dC.
A cidade teve importância cultural e histórica ao longo de vários séculos, especialmente no século XVI. Para comprovar essa relevância, por exemplo, das 30 dietas imperiais ( assembleias dos diversos estados que compunham o império) que se realizaram nesse século, 5 tiveram lugar em Speyer.
Na segunda Dieta de Speyer (1529) um grupo de príncipes e representantes de 15 cidades imperiais assinaram um protesto contra o Edital de Worms, (que em 1521 tinha proibido os ensinamentos luteranos no Sacro Império Romano-Germânico). Foi assim que surgiu a palavra protestantes, com o significado religioso que tem hoje para os católicos.
Desta vez a visita a amigos em Speyer foi tão curta que não deu para tirar fotografias da cidade, mas redescobri algumas fotografias de outra visita, em especial da Catedral de Speyer, que é realmente um monumento impressionante.
A catedral, em estilo românico, encontra-se na lista dos monumentos culturais da UNESCO.
Deixo aqui a ligação para um pequeno álbum com fotografias e também para a Wikipedia em inglês (texto mais completo) e em português (texto mais resumido).
Além da catedral, Speyer tem ainda um interessante museu técnico, que expõe máquinas e outros objectos com interesse tecnológico (aeronaves, locomotivas, automóveis, etc.) entre os quais um Boeing 747 e um submarino U9.
Por tudo isto, e também pela beleza da cidade, situada na margem esquerda do Reno (do outro lado fica o circuito de corridas de automóveis de Hockenheim), vale a pena a visita a Speyer.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Jardins diferentes

Aqui na Frísia de Leste (Ostfriesland) é usual as pessoas decorarem os jardins nas semanas de aniversários (por idade, casamentos, passagem à reforma, etc.), com temas alusivos aos aniversariantes e às suas profissões ou passatempos.
Clicar aqui para ver o álbum com fotografias de alguns desses jardins.