sexta-feira, 28 de junho de 2013

Racing day


Tinha prometido mostrar mais fotografias do dia das corridas :-)
(Podem ver o postal anterior com o texto explicativo do evento).
Decidi chamar à foto deste postal "Racing Day", daí o título.
Na página seguinte encontrarão um slideshow com várias dezenas de fotografias. A colecção é grande e a escolha foi difícil.
Divirtam-se :-)


segunda-feira, 24 de junho de 2013

Campeonato Mundial de Bicicletas Reclinadas em Leer


Vêem-se muito por aqui. Estima-se que na Alemanha existam cerca de 30 mil destas bicicletas (e 50 milhões das "normais" :-) 
Fui surpreendido noutro dia com uma informação que em Leer no passado fim-de-semana havia um evento chamado "Campeonato Mundial de Bicicletas Reclinadas".
Em alguns locais da especialidade (na internet) o evento aparece também referido como Campeonato Mundial de HPVs. Na realidade havia também algumas dessas máquinas com cobertura, que pertencem ao grupo dos HPVs (Human Powered Vehicles).
Ao que parece terá tido participantes de 12 países. E com provas variadas desde sprints, 100 km, corrida de uma hora, até provas para aparelhos que flutuam na água, etc.
O tempo esteve chuvoso mas o apelo para umas quantas fotografias de acção não me desmotivou. E assim foi. :-)
Ontem foi a corrida dos 100 km, para esses HPVs e bicicletas reclinadas.
Deixem fazer um comentário muito pessoal, como bom alentejano, estas serão as melhores bicicletas pois pedala-se... deitado :-)
Em alemão chamam-se Liegeräder e em inglês Recumbent Bicycles (what a name!).
Algumas destas máquinas têm um aspecto muito estranho, umas parecem mais balas ou torpedos, noutras em vez de pedalarem o movimento faz-se ... remando!
Pela sua forma aerodinâmica esta bicicletas atingem maiores velocidades, sendo o recorde mundial da hora 90 km.
No circuito citadino de Leer isso não era possível mas mesmo assim garanto que passavam muito depressa. :-))
Links que podem ter interesse:

Hoje ficam só algumas fotos para abrir o apetite. Depois mostrarei mais...
 
"Sequenciando..." 

 Fazendo um "zooming..."
 

quinta-feira, 20 de junho de 2013

Zaanse Schans (NL)


Zaanse Schans é um bairro de Zaandam, perto Zaandijk, no município de Zaanstad (não muito longe de Amesterdão), na província da Holanda do Norte.
Aí existe uma colecção de moinhos de vento e casas históricas muito bem preservadas. São aproximadamente 35 casas, de toda a região, que foram transferidas para o museu ao ar livre, na década de 1970.
A ideia da preservação dos moinhos partiu de uma iniciativa da Sociedade dos Moinhos de Zaanse Schans, fundada em 1925 pelo artista e professor francês Mars, que compreendeu que com a perda da sua importância económica na região os moinhos tenderiam a desaparecer, perdendo-se assim uma parte importante da cultura da região.
De mais de um milhar de moinhos que existiam nas margens do rio Zaans ainda restam 13 exemplares, 6 em Zaanse Schans.
O museu Zaans, fundado em 1994, faz parte do conjunto.
Zaanse Schans é uma das atracções turísticas mais populares da região e um ponto de visita da Rota Europeia do Património Industrial.
Este local atrai cerca de 900 mil visitantes por ano.
Os moinhos de vento foram construídos depois de 1574. Alguns são réplicas de originais. Todos têm nomes, que podem ser lidos aqui:
http://en.wikipedia.org/wiki/Zaanse_Schans

Interessante é ver também, no link acima indicado, os fins a que se destinavam estes moinhos, pois muitas vezes associamos os moinhos de vento apenas à moagem de trigo. Convém não esquecer a importância no passado dos moinhos como geradores de energia para muitos fins: serrações, estações de bombagem (óleo e água), moagem de outras sementes, etc.
Nos Países-Baixos muitos moinhos destinavam-se à bombagem de água para drenagem dos pólderes.
 
Pode também visitar o sítio oficial:
 
Da próxima vez que visitarem Amesterdão já sabem, Zaanse Schans não fica longe, um pouco a norte, podem dar um saltinho até lá.


segunda-feira, 17 de junho de 2013

Moinhos numa manhã de nevoeiro (NL)


Uma manhã com nevoeiro mas nem por isso o fotógrafo desistiu :-)
Há que aproveitar todas as possibilidades que a Natureza nos oferece e o nevoeiro permite belas fotografias da paisagem holandesa ...
 

domingo, 16 de junho de 2013

Quer ser feliz?


Então comece por comer grão-de-bico!
:-))
É um excelente alimento muito apreciado "pour moi" :-)
Além de imensas coisas boas, pois é isento de colestrol, tem bastante ácido fólico, cálcio, ferro, magnésio, e blá blá blá (podem ver aqui), o grão-de-bico possui uma grande quantidade de triptófano, utilizado para produzir serotonina, responsável pela activação dos centros cerebrais que dão a sensação de bem-estar, satisfação e confiança (in Wikipédia).
Ou seja, uma espécie de Prozac natural, e muito mais barato :-))
Convém não abusar para não ganhar habituação.
Se não gostarem finjam que é remédio!
Acabei de manjar esta tigela de grão (com bacalhau, cebola e coentros), e agora estou ... nas nuvens :-)
 
Actualização:
Junto um pequeno texto enviado pelo meu amigo CS, sobre a história do pitéu.

A DESFEITA DE BACALHAU COM GRAO é um acepipe tipicamente lisboeta. Ramalho Ortigão menciona-o na "Galeria das Figuras Portuguesas" nos seguintes termos: «... Nas ruas da Mouraria onde depois da meia-noite se vai comer o prato da desfeita, acepipe composto de bacalhau e grão-de-bico polvilhado de vermelho por uma camada de colorau picante.». E Eça de Queiróz faz o seu requintado Fradique Mendes saborear este pitéu na Mouraria em mangas de camisa. Nos meados do século XIX a mais popular das tascas lisboetas onde se servia o prato de desfeita era o João do Grão situado na antiga Carreirinha do Socorro, rua que então ligava a Rua dos Cavaleiros à Rua de S. Lázaro na Mouraria. O dono, que morreu em 1884 fora soldado da então Guarda Municipal da qual fora expulso por ter emprestado a sua farda a uma mulher que com ela se mascarou no Entrudo. Além do João do Grão havia mais duas tascas com fama de bem cozinharem o prato de desfeita, a do José do Borralho ao Campo de Santana na esquina da Rua do Moinho de Vento e a da Mariana do Grão, muito antiga e que existia junto do chafariz da Esperança. O nome de «meia desfeita» pelo qual também é conhecido este prato deve-se ao facto de os fregueses pedirem «meia (dose) de desfeita». 
 

quinta-feira, 13 de junho de 2013

Jardim de tulipas em Anna Paulowna (NL)


A grã-duquesa Ana Pavlovna da Rússia (1795-1865) foi uma rainha-consorte dos Países Baixos através do seu casamento com o rei Guilherme II.
Ana Pavlovna era a oitava filha do czar Paulo I da Rússia e da sua consorte, a imperatriz Maria Feodorovna (nascida duquesa Sofia Doroteia de Württemberg), e, assim, recebeu o título de Sua Alteza Imperial, a grã-duquesa Ana Pavlovna da Rússia.
Devido às convenções de tradução em vigor nos Países Baixos durante o século XIX, a grã-duquesa é mais conhecida nesse país como Anna Paulowna.
Como curiosidade na sua biografia, o imperador Napoleão I de França, pediu a duquesa em casamento, mas foi rejeitado.
 
O nome do município de Anna Paulowna, localidade da província da Holanda do Norte,  teve origem num pólder com o mesmo nome, que foi transformado em terra seca em 1846, durante o reinado do rei Guilherme II, e que foi assim chamado em honra de sua esposa, a rainha Anna Pavlovna.
Desde 2012 Anna Paulowna é uma parte do novo município de Hollands Kroon.
A localidade está no meio de inúmeros campos de tulipas.
Tem um pequeno parque, com muitas espécies de tulipas, que vale a pena visitar :-)

(Fontes: Wikipédia)

http://en.wikipedia.org/wiki/Anna_Paulowna

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ana_Pavlovna_da_R%C3%BAssia

 
E se ainda não estão fartos das minhas tulipas podem passar à paágina seguinte que há mais :-)

segunda-feira, 10 de junho de 2013

Mais tulipas e companhia...


Os campos de flores da província da Holanda do Norte, que tenho mostrado nos postais anteriores, são principalmente de tulipas mas também existem outros tipos de flores. Vi também muitos jacintos :-)
Aqui têm mais umas vistas dessa província dos Países Baixos.
Na página seguinte mostro uma colecção em slideshow.
Ainda ficam mais umas tulipas e alguns moinhos por mostrar :-)


sábado, 8 de junho de 2013

Campanha publicitária



Depois de montar o hotel para insectos, que mostrei no postal anterior, hoje decidi fazer uma campanha publicitária para promoção do referido hotel.
Fui até um sítio onde sei que há sempre muitos "clientes" e distribuí uns cartões de visita e panfletos.
:-)
 

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Hotel para Insectos



Informo-vos que a partir de agora sou proprietário de um hotel.
Resolvi fazer este investimento na preservação da Natureza :-)
O magnífico hotel, de 4 pisos, com 55 metros de altura (perdão, eu disse metros? Queria dizer 55 centi-metros!), fica localizado no fundo do nosso jardim, numa estaca da antiga vedação em arame farpado, que existe ainda do tempo em que no campo ao lado pastavam vacas.
Não se aceitam melgas, moscas e mosquitos!
Abelhas, borboletas, joaninhas, etc., serão bem-vindas :-)

Mais infos sobre esta cadeia de hotéis:

http://en.wikipedia.org/wiki/Insect_hotel

http://es.wikipedia.org/wiki/Caja_de_insectos
 

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Túlipas,tulipas!


Esdrúxulas ou graves, podem escolher :-)
Usam-se as duas formas, e em muitas cores :-)
Não vou escrever muito sobre as origens orientais do nome, e a net tem muita informação sobre a escrita e fonia da palavra. Vou apenas mostrar mais algumas.
Dar uma tulipa vermelha significa amor verdadeiro e eterno :-)
Uma amarela, amor impossível.
Branca, significa perdão.
Muitas cores e significados. Há clientes para todos os gostos, e por isso é também um excelente negócio.

(Algumas fotografias panorâmicas foram drasticamente reduzidas e podem por isso apresentar menos nitidez).


segunda-feira, 3 de junho de 2013