sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Brincos-de-princesa


São brincos-de-princesa ou fúchsias.
Charles Plumier descobriu esta planta em 1703 na Ilha de S. Domingos (também conhecida por Hispaniola, hoje República Dominicana e Haiti), e atribuiu-lhe esse nome em honra do botânico alemão Leonhart Fuchs (1501-1566).
Já tiveram aqui direito a fotografias, que podem ver no link abaixo indicado, mas as deste ano saíram particularmente bonitas.
Ver aqui outro postal sobre fúchsias:

A teia-de-aranha faz parte do cenário pois não destruo o trabalho árduo de outros seres :-)


9 comentários:

  1. Sim, estas fotos sairam particularmente bela! Mas gostaria de fazer uma pergunta: o bicharoco encontrava-me mesmo no brinco de princesa na altura?! : ))

    ResponderEliminar
  2. Plantas muito bonitas. Tenho algumas variedades. Nem todos são resistentes ao frio do Inverno.
    Tenho um no centro do jardim que tem perto de um metro de altura e cerca de dois de circunferência. já tem quinze anosaproximadamente.

    ResponderEliminar
  3. Estava sim, Catarina :-)
    Aqui só há magia da Natureza!

    ResponderEliminar
  4. São sim, Luís.
    No nosso caso infelizmente não sobrevivem ao Inverno.
    Gostava de ver essa do seu jardim, deve ser um espectáculo! :-)

    ResponderEliminar
  5. Lindos. Tem graça que hoje visitei o Chalet Condessa d'Edla em Sintra do qual vou falar lá no meu canto, e lá vi uma grande "colecção" de Brincos de Princesa, lindos, lindos, finos, dobrados escuros claros....mesmo bonitos.
    xx

    ResponderEliminar
  6. Lbonitamigo

    Lindas flores e lindíssimas fotos. És um Mestre da objectiva. Já o sabia, mas agora... Parabéns!

    Abç

    ResponderEliminar
  7. Lindíssimas! Também já tive brincos-de-princesa, mas como não são resistentes ao inverno, deixei de ter.
    As teias de aranha são consideradas inestéticas, mas eu também evito destruí-las, só se estiverem mesmo em sítios que incomodam. Além de também não gostar de destruir o "trabalho árduo" alheio ;-), elas podem ser úteis, pois encarregam-se de "travar" muitos insetos.

    ResponderEliminar
  8. Cristina, eu também costumo deixar as aranhas em paz. Há no entanto alguns lugares dentro de casa onde, por motivos de higiene, de vez em quando sou obrigado a "desalojá-las" :-)

    ResponderEliminar
  9. Papoila e Henrique, obrigado pelos vossos simpáticos comentários. Abraços!

    ResponderEliminar