sábado, 22 de setembro de 2012

Ilha de Borkum (1)

Clicar nas fotografias para ver em tamanho maior

Finalmente uma visita à ilha de Borkum, a maior e mais ocidental das ilhas frísias alemãs.
A ilha tem 35 quilómetros quadrados e curiosamente, embora longe geograficamente, pertence ao distrito de Leer.
Uma viagem com ida de catamarã e regresso de ferry boat. De catamarã o preço é mais caro mas a viagem dura só uma hora, de ferry são 2 horas e meia.
Quando se chega à ilha apanha-se um pequeno comboio, o Borkumer Kleinbahn, que nos leva para a vila.
O percurso de comboio é feito através de arbustos de Sanddorn (espinheiros-marítimos), do qual se produz um licor típico da região, até que ao fim de 15 a 20 minutos se chega ao centro da vila.
Quando se chega é curioso observar o movimento de pessoal a deslocar-se de e para a estação, com as malas de viagem com rodas a serem puxadas pelos viajantes, porque as ruas não têm obstáculos e permitem fazer isso facilmente.
A ilha tem pouco mais de 5000 habitantes, mas este número aumenta significativo com a época alta, pois o turismo é a fonte principal de rendimento da ilha. São cerca de 250 mil turistas por ano, que dão à ilha mais de dois milhões de dormidas por ano.
Depois de encontrar o alojamento é só alugar as bicicletas (5 euros por dia) e dar uma volta pela ilha.
Sinceramente, nunca vi um local onde há tantas ofertas para alugar bicicletas!
Daí a 15 minutos estávamos em cima das bicicletas :-)
Os carros são permitidos na ilha mas só em determinadas zonas.

Além da praia junto da localidade com as cadeiras coloridas, a ilha dispõe de um extenso areal com praias especiais onde podem entrar cães e cavalos.


O Nordlicht, que atinge uma velocidade de quase 70 km/h

A viagem

 "Borkumer Kleinbahn", começou a funcionar em 1885

Um mosaico semi-panorâmico da praia (ângulo de visão de 180º),
com justaposição de 9 fotografias.



Os kitesurfers e as gaivotas ficam para outros postais :-)

3 comentários:

  1. Um local muito bonito. Como e bom passear e ver paisagens novas!

    ResponderEliminar
  2. Que grande reportagem!
    As cadeiras são mesmo engraçadas...

    ResponderEliminar
  3. Acredito que terá sido um passeio bem dado... e nada monótono... uma espécie de safari marítimo (ainda que na civilização), onde não faltou ferry/catamarã e combóio :-)
    Caro amigo, há que aproveitar estes "pequenos" encantos, ainda que à mão de semera, para sentir que vale a pena andar pelo cimo da Terra.
    Grande abraço!

    ResponderEliminar